sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Ruins da cabeça? Ou doentes do pé?

Para hoje para refletir sobre o samba e a cidade. Neste dia mundial do samba a nossa cidade não tem muito o que comemorar.

O carnaval virou uma pista de trânsito engarrafado, onde quem acaba sofrendo as consequências são aqueles que verdadeiramente curtem o carnaval.

Durante o ano não vemos nenhum movimento do poder público em relação ao fomento desta realidade pobre do samba.

Muito se faz para as descendentes de várias denominações, mas infelizmente, o que seria mais natural, não é feito.

Você sabe de algum evento programado pela Prefeitura para comemorar esta data ou outra que tenha as pessoas com menor poder aquisitivo como público alvo.

Palanques, super palcos, festividades e muita divulgação é feito quando o assunto é outro, mas quando se trata de samba a cidade até parece que não tem ninguém que goste.

Não é justo com os sambistas e com a gente que gosta de samba.

Chego a conclusão que ou Petrópolis tem muita gente que não gosta de samba e por causa disso, bom sujeito não é.

E pergunto: são ruins da cabeça? ou doentes do pé? video

Um comentário:

  1. Olá Roberto. Petrópolis tem uma herança cultural européia e o samba por aqui até já teve sua era de glamour.... lembra dos Milionários, do Cacique do Morin, do Vai quem quer nos anos 80?
    Hoje, quem gosta de samba pode dar "um pulinho" e "uns pulinhos" nas Escolas do Rio.
    Nossa juventude só conhece o funk, o rap e nem sabe brincar um carnaval como se deve(com alegria, charme, simplicidade e respeito).
    E talvez sua teoria explique o porque de tanta farmácia e sapataria na cidade(rs).
    abraços.

    ResponderExcluir