terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Cuidado com as pedras pequenas

Hoje quero me dirigir principalmente aos mais velhos. Tenho visto muitas pessoas se aborrecendo por pouco, perdendo a paciência, ficando descompensado por fatos pequenos e muitas vezes quase irrelevantes.

uma discussão em casa por bobagem, uma divergência de opiniões com os amigos, uma imcompreensão com um vizinho, uma queixa, uma reclamação. E muitas vezes apenas uma falta de olhar ao redor.

Pequenas coisas que podem alterar o estado emocional, a pressão ou o equilíbrio psicológico, transformando-se em problemas maiores.

A vida tem valores grandiosos para que perdamos tempo com pequenas coisas que podem afetar a qualidade dos nossos dias.

Pedras no caminho que temos que lapidar pra virarem diamante no futuro.

Vamos dar valor ao que realmente tem valor.

2 comentários:

  1. WILSON JOSÉ DA LUZ1 de fevereiro de 2011 02:34

    AMIGO ROBERTO COSTA, BOM DIA! SOU PROF WILSON, AQUELE QUE ESTAVA LÁ NA COMAC! ESTE ANO ESTOU NA ESCOLA SANTA MARIA GORETTI, E PRETENDO LEVAR O PROJETO PARA LÁ, POIS NA COMAC, BABOU.
    ESTOU INDIGNADO COM A ATITUDE DA PREFEITURA. NÃO PAGOU NOSSAS FÉRIAS NESTE MES DE JANEIRO. ALGUNS COLEGAS ALEGAM QUE ELE PAGOU EM DEZEMBRO, MAS A GRANA QUE ELE PAGOU EM DEZEMBRO ERA UM DINHEIRO A MAIS DO FUNDEB, CONFORME DECLARAÇÃO EM SUA POSSE NO TEATRO MUNICIPAL. E AGORA SR WILLIAM E SR MUSTRANGE, CADE AS NOSSAS FÉRIAS? SERÁ QUE NÃO TEMOS DIREITO? GOSTARIA QUE VOCÊ, ROBERTO, APURASSE ESTA QUESTÃO.
    FIQUEI SABENDO QUE VOCÊ FEZ ANIVERSÁRIO NO MESMO DIA QUE EU, 6 DE JANEIRO, PARABÉNS!!!

    ResponderExcluir
  2. Meu irmão é professor municipal e recebeu as férias em final de dezembro.
    O Sr. Wilson deveria ver isso - com o RH da PMP ou com o banco. Sério.
    Qto as pedras pequenas - tem toda razão, Roberto.
    Há pedras pequenas que nem deveriam ser "pedras" na nossa vida pessoal ou social ou profissional, pois conviver é um desafio mesmo.
    Há pedras pequenas a nível de comunidade que, se se considerassem mesmo uma COMUNIDADE, não ficariam as pessoas a esperar e sim a unir-se pra resolverem entre si as pedrinhas.
    Lapidação coletiva - como necessitamos não é?
    Mas primeiro há que se ter a coragem da lapidação pessoal.
    Menos orgulho - só isso e, no caso de Petrópolis, mais comunicação entre as pessoas.
    Obrigada.

    ResponderExcluir