terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Isto pode acontecer

Todos os dias ficamos sabendo de apreensões de drogas em nosso município. Está chegando muito droga por todos os lados, mas a Polícia vem desempenhando bem o papel que lhe cabe.

Ao meu ver o que acontece em nossa cidade é que estamos precisando de medidas mais profundas, vamos dizer assim. Precisamos que haja um posicionamento mais drástico em relação a este assunto, para que não viremos uma cracolândia da vida.

A droga tem se alastrado e famílias estão se perdendo. Acredito que ainda dá pra controlar, mas a situação pode em pouco tempo ficar insustentável.

Cada um de nós deve fazer uma parte para que este câncer não se alastre, ams sei que é difícil. É muita gente envolvida.

Mais policiais, mais blitzen, mais interferência do poder público nas comunidades.

Não podemos deixar que Petrópolis vire um centro de drogas no estado.

Mas se bobearmos isto pode acontecer...

2 comentários:

  1. Alessandro dos Santos Almeida8 de fevereiro de 2012 07:41

    E como fica a situação de Petrópolis, com a possibilidade de greve das Policias civil militar e bombeiros.
    como esta falando de morador de rua gostaria de saber qual medida para assegurar estas pessoas a prefeitura ira tomar?

    ResponderExcluir
  2. Enquanto as famílias deixarem seus filhos à mercê da televisão,a chando que bbb, malhação e rebelde é educativo... enquanto os pais tiverem filhos com 3,4 mulheres diferentes e estas postrarem-se num bar embebedano-se de cerveja achando que isto é conquista de espaço, nossas crianças e jovens terão parâmetros e valores muito confusos. concordam?
    Se cehga tanta droga na cidade é pq tem muiiita gente consumindo. E creio que somente pela fé e pelo resgate dos valores da família cristã esse quadro se reverte.
    Junto com a droga vem a violência, a barbárie, a degradação e o fim da dignidade. Precisamos de mais esporte, mais lazer e mais educação de qualidade, onde professores sejam respeitados e possam apontar um caminho para os alunos e não sejam vistos como rivais da família, mas parceiros.

    ResponderExcluir